Um dos maiores avanços no tratamento da doença venosa foi o uso do ENDOLASER. Em pacientes que precisem tratar suas veias safenas este tratamento mais moderno veio substutir a antiga técnica do "stripping". 

   A técnica do "stripping" é usada há mais de 150 anos, e consiste em uma incisão cirúrgica na virilha (para tratar a veia safena manga), parte posterior da dobra do joelho (para tratar a veia safena parva) e outra ao nível do pé. É passado um equipamento metálico por dentro da veia, conhecido como fleboextrator, e a veia é literalmente arrancada da sua posição anatômica (veja vídeo). Apesar de eficaz, este tratamento produz:

- cicatrizes inestéticas

- hematomas e dor ao longo do trajeto da veia retirada

- maior tempo de repouso e recuperação

- maiores taxas de complicações (lesão de nervos sensitivos, dos vasos linfáticos, infecção cirúrgica)

   A técnica do ENDOLASER, consiste em se fazer uma punção (sem corte), sobre a veia que será tratada, insere-se uma fibra de LASER por dentro da veia. Este procedimento é realizado com o acompanhamento do ultrassom em tempo real. Essa fibra é conectada em um equipamento gerador do LASER, que transmite a energia para o interior da veia e promove uma oclusão permanente da veia tratada. Como a fibra trata a safena por dentro, os tecidos externos não são atingidos, tendo como vantagem:

- menos complicações

- menor dor/desconforto pós-operatório

- menos hematomas e manchas

- retorno mais rápido as atividades 

   No pós-operatório com a técnica do LASER, os pacientes praticamente não precisam fazer uso de medicamentos analgésicos, e em aproximadamente 7 dias, tem sua rotina normalizada, liberado inclusive para a prática de atividades físicas.

   Como o tratamento com ENDOLASER pode ser realizado com anestesia local, é ideal para pacientes:

- idosos, com outras doenças (Diabetes, Hipertensão, Arritmia cardíaca)

- pacientes que usam medicamentos anticoagulantes (que não podem ser operados pela técnica convencional do "stripping"

- pacientes não desejam a anestesia raquidiana ou epidural, usado na técnica convencional.

Passo a passo do tratamento

Paciente é encaminhado ao bloco cirúrgico, onde o procedimento é realizado com todo conforto e segurança!

O paciente é sedado e acompanhado pelo anestesiologista. O paciente dorme durante todo procedimento!

Marcação de todas as varizes com auxílio do fleboscópio! Ajuda a identificar todas as veias doentes, mesmo as mais profundas e em pacientes morenos!

Exame do paciente fica exposto para conferência das sanefas que serão tratadas com ENDOLASER - PRINCÍPIO DA CIRURGIA SEGURA!

Equipamento de ENDOLASER e ULTRASSOM são posicionados a esquerda do paciente

A fibra LASER é conectada ao aparelho e inserida na SAFENA por punção da pele!

O aparelho mede a energia que esta sendo liberada! 

Imagem do ultrassom em tempo real evidenciando a oclusão  da veia!

Vejam os vídeos abaixo para entender as diferenças entre o tratamento tradicional "stripping" e o ENDOLASER.

ENDOLASER

ENDOLASER, LASER, safena, varizes, microvarizes, Belo Horizonte, Mater Dei, Paulo Bastianetto, veias doentes, microvarizes, aplicação

"stripping"técnica convencional com fleboextrator

ENDOLASER, LASER, safena, varizes, microvarizes, Belo Horizonte, Mater Dei, Paulo Bastianetto, veias doentes, microvarizes, aplicação

   Ao final do procedimento é calçada uma meia específica, que substutui o antigo enfaixamento com ataduras de crepom. Essa meia proporciona mais conforto e melhor compressão do que o enfaixamento convencional. O paciente tem alta no mesmo dia, já sai do hospital caminhando, sem restrições para subir e/ou descer escadas. Devido à tecnologia especial desta meia, o paciente pode tomar banho no mesmo dia (com a meia). O primeiro retorno é com 5-7 dias, quando o paciente é liberado para sua rotina normal inclusive a prática de atividades físicas!

  • Grey Instagram Icon
  • Grey Facebook Icon
  • Twitter - círculo cinza
  • LinkedIn - círculo cinza
0
This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now